Jornal da COMUNICAÇÃO CORPORATIVA | Especial

DIA DA COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL 8 Não é novidade que o mercado de comunicação vive uma transformação digital. A multiplicação de blogs, as re- des sociais, o serviço de streaming são exemplos que impac- taram e transformaram nossa indústria. Na Accor estamos muito focados no conteúdo digital por- que 75% do nosso público está na internet. Com a pande- mia essa necessidade de comunicação via digital virou algo obrigatório para conectar marcas e pessoas com mensagens rápidas e estratégicas. Um exemplo disso na Accor nesse pe- ríodo foi passar ao cliente a visão de que a empresa está pre- parada para voltar a recebê-lo com segurança. Por isso, logo no início desta pandemia fechamos um acordo com o Bureau Veritas para estabelecer um protocolo, com selo de certifica - ção de higienização e conduta dos hotéis. O resultado dessa estratégia foi o lançamento do rótulo exclusivo de limpeza e prevenção: ALLSAFE . Os hotéis do grupo devem aplicar esses padrões e serão auditados por especialistas operacionais da Accor ou por auditores de terceiros, como o Bu- reau Veritas, para receber a certificação. Em pa - ralelo, revimos todos os nossos procedimentos nos hotéis e lançamos um Guia da Retomada, cujo objetivo é assegurar o seguimento de novas medidas e procedimen- tos nos hotéis, garantindo a saúde de colaboradores e clien- tes. Todos esses protocolos podem ser conferidos no hotsite https://allsafelatam.com.br/. A Accor é uma empresa de hospitalidade e receber bem é o nosso negócio, por isso temos a cidadania, cultu- ra organizacional, diversidade, ética, honestidade, inclusão social, meio-ambiente, reputação, sustentabilidade e trans- parência como preocupações indispensáveis que estão no dia a dia dos nossos colaboradores ( heartists ). Temos como propósito proporcionar experiências positivas para todos os clientes e colaboradores, por isso somos uma empresa inclusiva e sustentável em diversos aspectos.   Sustentabilidade e inclusão são e serão linhas mestras de nosso negócio Antonietta Varlese, Vice-Presidente Sênior de Comunicação, Relações Institucionais e Responsabilidade Social Accor América do Sul Como proceder quando se está numa indústria que foi das mais impactadas do planeta em seus negócios? Na rede de hotéis Accor, como explica Antonietta Varlese , o caminho foi dobrar o rigor e comunicar, mostrar isso com todas as letras aos clientes. Carlos Battesti , da Convergência, por seu lado, acha que antes de falar dos rumos da comunicação é essencial falar do futuro do Brasil. Um futuro que, sob o seu olhar, está hoje totalmente comprometido. O convite foi para falar sobre as novas in- fluências e competências para a comunicação empresarial e seu impacto para os profissionais do nosso segmento. Vou tentar fazer isso. Mas antes precisamos conversar sobre o Brasil. A história mostra que a nossa atividade não é influenciada apenas por pandemias, mudanças com - portamentais, inovações tecnológicas ou crises econômicas – como essa que está por vir, e que a cada dia promete ser mais devastadora. Nossa atividade é muito impactada, tam- bém, quando o grupo que está no poder representa uma ameaça à Democracia. E, acreditem, isso está acontecendo. Apesar de eleito em um processo democrático, o go- verno atual decidiu que os organismos de Estado não vão mais cumprir as obrigações constitucionais que fundamen- tam a Democracia. As estruturas sob seu comando estão sendo orientadas a se omitir e deixar de investigar e punir os malfeitos na Justiça, no Meio Ambiente, na Educação, na Saúde e nos Direitos Humanos. Pior. Cada vez mais estão passando as “boiadas” que ameaçam o Estado Democráti- co. Talvez porque saibam que as ruas vazias pelo distancia- mento social devido à pandemia não serão capazes de se mobilizar para impedir que isso aconteça. Esse será o maior impacto que a nossa atividade po- derá sofrer, e precisamos estar atentos. Será maior que mudanças como o fim do supérfluo e o triunfo do digital e da compra virtual. Maior que a exigência de que as orga- nizações clientes das nossas agências definam com mais clareza seu propósito e demonstrem sua relevância para a sociedade. Maior que a necessidade de equilibramos o offline com o online e desenvolvermos soluções multifun - ção no nosso trabalho. Maior que a valorização da comu- nicação visual e das newsletters com conteúdos relevantes. Não há como pensarmos em tendências e transforma- ções para o dia depois de amanhã se fingirmos que a De - mocracia não está sob ameaça. Nossas agências, e talvez os empregos dos nossos colaboradores, podem até sobre- viver num primeiro momento. Mas o Brasil, não...   Precisamos conversar sobre o Brasil... Carlos Battesti, Sócio-Diretor da Convergência Comunicação Estratégica

RkJQdWJsaXNoZXIy NDU0Njk=